quarta-feira, 27 de maio de 2015

Programa de Ação







GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
  






PROGRAMA DE AÇÃO

EE:  Doutor Antonio de Moura Abud                                     
NOME: Daniela de Oliveira
FUNÇÃO: Profª de Filosofia, Sociologia (Disciplina da Base Nacional Comum), Projeto de Vida (Disciplina da parte Diversificada) e Eletiva (Disciplina da parte Complementar)
Diretor: Helimara Vinhas Siqueira Pinto
Vice-Diretor: Silvia Lobato dos Santos e Moura
PCG: Elisabete Vassalo Bergamini



                             











PCA CHT:  Lucia Helena Ramos Martins





Supervisora: Vânia Cristina Paduan Alves
VIGÊNCIA: 2015
ÚLTIMA REVISÃO:__/__/2015
1-    RELATO SOBRE A ESCOLA E A COMUNIDADE EM QUE ESTÁ INSERIDA
Os alunos que estudam nesta Unidade Escolar residem no próprio bairro e regiões próximas. São atendidos no ensino fundamental em escolas pertencentes à rede municipal de ensino.  Em sua maioria, pertence à classe média baixa. Em linhas gerais,  os pais são trabalhadores temporários, autônomos, prestadores de serviços; o grau de escolaridade dos pais com ensino fundamental ou ensino médio incompleto. As mães trabalham como empregadas domésticas, autônomas, prestadoras de serviços, ou em empregos no comércio local.  O grau de escolaridade das mães, em geral, é de ensino fundamental incompleto e algumas com o ensino médio. A média da renda familiar é em torno de 1 a 2 salários mínimos. O tipo de moradia é própria , cedida ou alugada, em média de 2 a 8 pessoas morando na mesma casa, com infraestrutura básica. O entorno da escola apresenta pontos comerciais de pequeno e médio porte e não há nenhuma área de esporte, lazer e cultura comunitários. Constantemente crianças e jovens utilizam informalmente a quadra de esportes da escola devido a não ter outro espaço disponibilizado à comunidade. Muitos jovens ficam ociosos enquanto seus pais trabalham e acabam se envolvendo no tráfico de drogas. No decorrer do ano letivo, muitos alunos se evadem ou mudam de escola devido à necessidade de trabalho para auxiliar nos gastos familiares. Com relação aos resultados de aprendizagem dos alunos, em 2013 percebeu-se que houve uma regressão acentuada no índice de avaliação do IDESP/SARESP e de Aprendizagem dos alunos, o que muito preocupou toda a Gestão e Equipe Escolar. A partir desses dados, como a escola tornou-se integral, os professores sentiram uma responsabilidade maior em trabalhar com mais efetividade e eficácia as premissas do Programa de Ensino Médio Integral (PEI), que permeiam a necessidade de melhorar a qualidade de ensino dos alunos desta U.E.. Percebe-se que a queda nos resultados de aprendizagem dos alunos, em 2013, aconteceu devido a fatores externos da comunidade que refletem no desempenho escolar; falta de perspectiva de melhoria de vida e abandono escolar devido à priorização do mercado de trabalho, influenciando diretamente nos resultados de Avaliações de Aprendizagem dos alunos.  Já em 2014, ocorreu uma melhora significativa nos índices de avaliações internas e externas, superando em 120% a meta do IDESP. Com base nessas observações, percebe-se que a escola já alcançou uma melhoria na aprendizagem, porém persiste a necessidade de elaborar novas ações que minimizem os problemas de aprendizagem influenciados por questões sociais dos alunos e contemplem as habilidades requeridas em avaliações externas da Secretaria da Educação, marcadoras de indicadores de resultados de aprendizagem desses jovens. Há, na escola, uma necessidade imensa de se resgatar a autoestima de nossos estudantes para que eles estejam estimulados a aprender conteúdos da Base Comum do Ensino Médio e, também, da base Complementar e Diversificada do Ensino Médio Integral. Por isso, não basta apenas termos um Programa de Ensino Médio Integral; há a necessidade de uma ação integradora do ser (alunos) como um promissor do desenvolvimento do Protagonismo e Corresponsabilidade ao encontro do conhecimento em direção aos Projetos de Vida dos alunos, como pessoas que evoluirão à capacitação do Mercado de Trabalho diversificado e Preparação Acadêmica, exigidos pela sociedade contemporânea.




2 - RELATO INDIVIDUAL SOBRE O EXERCÍCIO DA SUA FUNÇÃO (Caso exerça mais de uma função registre as atribuições das funções separadamente)

A partir dos dados, apresentados no item 1 (relato sobre a escola), como professora, sinto que tenho  uma responsabilidade maior em trabalhar com mais efetividade e eficácia as premissas do Programa de Ensino Médio Integral (PEI), que permeiam a necessidade de melhorar a qualidade de ensino dos alunos desta U E; visto que todos têm dedicação exclusiva ao processo de ensino e aprendizagem, tanto alunos quanto professores. Percebe-se que quanto  aos resultados de aprendizagem dos alunos, em 2014, ocorreu uma melhora significativa nos índices de avaliações internas e externas, superando em 120% a meta do IDESP. Com base nessas observações, percebe-se que a escola já alcançou uma melhoria na aprendizagem, porém persiste a necessidade de elaborar novas ações que minimizem os problemas de aprendizagem influenciados por questões sociais dos alunos e contemplem as habilidades requeridas em avaliações externas da Secretaria da Educação, marcadoras de indicadores de resultados de aprendizagem desses jovens; havendo, assim, a necessidade de, como profissional e educadora do programa, desenvolver atividades concretas que viabilizem o ato de se resgatar a autoestima de nossos estudantes para que eles estejam estimulados a aprender, cada vez mais,  conteúdos da Base Comum do Ensino Médio e, também, da base Complementar e Diversificada do Ensino Médio Integral; dando todo auxilio e tutoria possível para que os jovens desenvolvam seus projetos de vida.
Por isso, há a necessidade de elaborar ações que, pelo menos minimizem os problemas de aprendizagem influenciados por questões sociais dos alunos e contemplem as Habilidades requeridas em Avaliações externas da Secretaria da Educação, marcadoras de indicadores de resultados de aprendizagem desses jovens. Há, na escola, uma necessidade imensa de se resgatar a autoestima de nossos estudantes para que eles estejam estimulados a aprender conteúdos da Base Comum do Ensino Médio e, também, da base Complementar e Diversificada do Ensino Médio Integral. Portanto, nesse Programa de Ação, proponho disponibilizar-me ao máximo, principalmente em formação continuada, para desenvolver ações  integradoras e significativas  do ser (alunos) como um promissor do desenvolvimento do Protagonismo e Corresponsabilidade ao encontro do conhecimento em direção aos  seus Projetos de Vida, como pessoas que evoluirão à capacitação do Mercado de Trabalho diversificado e Preparação Acadêmica, exigidos pela sociedade contemporânea.

3- PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO (Caso exerça mais de uma função registre as atribuições das funções separadamente)
Considerando as atribuições específicas da função no Programa Ensino Integral – artigo 7º da Lei Complementar nº 1.164, de 4 de janeiro de 2012  alterada pela Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012, transcrevo as principais atribuições em  minha função, como Professor de Arte:
  • Elaborar e Executar: Plano de Ensino anual; Guia de Aprendizagem Bimestral; Agenda Mensal e Programa de Ação Anual;
  • Participar da elaboração e execução do Plano de Ação Anual da Escola, colaborando com sugestões e possível alteração, quando necessário, para bom desempenho  do PEI;
  • Atuar em atividades de Tutoria aos alunos e, sempre que necessário, desenvolver tutoria com pais desses jovens;
  • Organizar, planejar e executar a minha função de educador na disciplina, fazendo com que a minha tarefa institucional seja de forma colaborativa e cooperativa, visando ao comprimento das metas do Plano de Ação da Escola;
  • Planejar, desenvolver e registrar atividades de trabalho pedagógico  coletivas e individuais, visando a eficiência da aprendizagem dos alunos
  • Relacionar o papel de educador-formador de opiniões e protagonismo juvenil como elemento básico do Modelo da Escola do Ensino Integral, fazendo com que minha função profissional seja de garantir a formação plena do aluno para torná-lo  autônomo, solidário e competente.
  • Ser responsável pela organização, planejamento e execução dos conteúdos do Currículo da disciplina de Educação Física e Parte Diversificada (Mundo do Trabalho;  Orientação de Estudos e  Eletiva) para que aluno tenha um aprendizagem proficiente e  eficaz;
  • Promover interações entre a disciplina de Educação Física e atividades da Base Nacional Comum e da Parte Diversificadas e Complementares que favoreçam a prática do Plano da Ação da Escola;
  • Participar de orientações técnicas- pedagógicas relativas à  minha atuação no PEI  e de cursos formação continuada ;
  • Com fundamentação nos 4 pilares da educação (aprender a: ser ,conviver, fazer e conhecer)  trabalhar  com  práticas pedagógicas que auxiliem na proposta de  obter resultados significativos no âmbito acadêmico, com contribuição significativa para a preparação do Projeto de Vida e na formação para valores dos estudantes e seu  desenvolvimento de Protagonismo Juvenil;
  • Manter-me sempre alinhado com toda a equipe escolar (professores, gestão, alunos e funcionários) de maneira coerente, coesa, objetiva, atuante, motivada e atualizada na conformidade do modelo próprio pedagógico da Escola para que os alunos sejam formados através da prática eficaz da pedagogia da presença;
  •   Respeitar, participar e acatar a organização dos programas de ação e das de rotinas de trabalho, elaborados para e por toda equipe da Escola.


4 – ALINHAMENTOS ENTRE ATRIBUIÇÕES (Caso exerça mais de uma função registre os alinhamentos entre as atribuições separadamente)
O alinhamento entre as disciplinas da área de Linguagens e Códigos será realizado pela Coordenadora de Área (PCA) em ATPA e Horários de Estudo; entre as diferentes áreas do conhecimento, será realizado pelo Professor Coordenador Geral (PCG), havendo elos entre as áreas, por meio de diferentes professores durante as disciplinas Eletivas, Mundo do Trabalho, Orientação de Estudo e ATPCs, É necessário também que haja o alinhamento da equipe gestora com todas as áreas de conhecimento para que o processo ensino  e aprendizagem transcorra de uma maneira mais clara e objetiva para a efetiva prática do Plano de Ação e Pedagógico da Escola.
No exercício da minha função docente, procurarei sempre manter os alinhamentos com os professores das disciplinas da Base Nacional Comum e com os professores das disciplinas e atividades da Parte Diversificada, das Atividades Complementares e Nivelamento; garantindo uma linearidade na execução do Plano de Ação da Escola e favorecimento da evolução do Processo de Ensino e Aprendizagem dos alunos; desdobrado no Programa de Ação.
Para garantir que o entendimento e a prática do PDCA, como instrumento rotineiro da vida escolar, esteja presente nas ações pedagógicas, procurarei atualizar-me sempre a partir dos momentos de formação continuada; levando em consideração: Visão, Missão, Valores, Premissas do Programa, Corresponsabilidade, Replicabilidade e Princípios do PEI.
Buscarei o apoio dos professores, envolvidos no programa, da PCA e PCG nas ações e atividades voltadas à aquisição de habilidades e competências pelos alunos, identificadas nas avaliações internas e externas, facilitando e acompanhando à introdução das iniciativas previstas na parte diversificada e da matriz curricular e, consequentemente, incentivarei, apoiarei e monitorarei as práticas e vivências em Protagonismo Juvenil  e Corresponsabilidade entre alunos na escola.





5 - COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NECESSÁRIAS PARA DESEMPENHAR AS ATRIBUIÇÕES (Caso exerça mais de uma função registre as competências e habilidades necessárias separadamente)
PREMISSAS
COMPETÊNCIAS
Descrever as competências a serem desenvolvidas por premissa
PROTAGONISMO JUVENIL

1.  PROTAGONISMO: Promove o protagonismo juvenil, ajudando a formar pessoas autônomas, solidárias e competentes e sendo protagonista também de sua própria atuação.

1-      Busca conhecer os alunos em sua individualidade (Projeto de Vida, interesses, dificuldades e potencialidades.)
2-      Mostra-se aberto a ouvir e apoia os alunos em seu processo de formação pessoal, acadêmica e profissional (por exemplo: dúvidas da disciplina, aspectos pessoais, Projeto de Vida).
FORMAÇAO CONTINUADA

2.  DOMÍNIO DO CONHECIMENTO E CONTEXTUALIZAÇÃO: Domínio de sua área de conhecimento, sendo capaz de comunicá-la e contextualizá-la, relacionando-a com a realidade do aluno, à prática, às disciplinas da Base Nacional Comum, à parte diversificada, às atividades complementares e aos Projetos de Vida.

1-      Utiliza práticas de ensino-aprendizagem que facilitam a aprendizagem pelo aluno (apresenta o conhecimento com clareza).
2-      Realiza avaliação coerentes com o que foi trabalhado nas aulas (provas, trabalhos, nível de exigência na correção).

3.  DISPOSIÇÃO AO AUTODESENVOLVIMENTO CONTÍNUO: Busca contínua da aprendizagem e do desenvolvimento como pessoa e profissional, apresentando predisposição para reavaliar suas práticas, tecnologias, ferramentas e formas de pensar.
1-      Participa frequentemente de cursos de formação a fim de aprimorar o exercício de sua função (temas específicos à função ou ao Modelo Pedagógico e de Gestão do Programa Ensino Integral)
2-      Escuta abertamente as devolutivas recebidas e reavalia seus comportamentos e práticas.
EXCELÊNCIA EM GESTÃO
4.  COMPROMETIMENTO COM O PROCESSO E RESULTADO: Demonstra determinação para planejar, executar e rever ações, de forma a atingir os resultados planejados.
1-      Elabora o planejamento de suas ações de forma a contribuir para o alcance das metas do Plano de Ação da escola (identifica as necessidades de aprendizagem dos alunos e usa os instrumentos necessários: Programa de Ação, Guias de Aprendizagem e Planos de Aula).
2-      Revisa sua prática para atingir melhores resultados de aprendizagem
CORRESPONSABILIDADE
5.  RELACIONAMENTO E CORRESPONSABILIDADE: Desenvolve relacionamentos positivos com alunos, professores, funcionários, direção, pais e responsáveis e atua de forma corresponsável tendo em vista o desenvolvimento dos alunos e profissionais da escola.
1-      Mostra-se próximo e constrói vínculo positivo com os alunos e profissionais da escola estando disponível dentro e fora da sala de aula.
2-      Mostra-se disponível e orienta pais e/ou responsáveis sobre o desempenho escolar dos alunos, incentivando sua participação como corresponsáveis.
REPLICABILIDADE
6.  SOLUÇÃO E CRIATIVIDADE: Tem visão crítica e foca em solucionar os problemas que identifica, criando caminhos alternativos sempre que necessário.

1-      Disposição para testar novas práticas e atividades de modo a desenvolver o aluno (organização da sala de aula, forma de avaliação, novas estratégias de ensino como debates, grupos colaborativos).
2-      Pondera suas colocações tendo em vista o contexto (avalia o que é viável ou não dentro da realidade dos alunos e da escola, leva em consideração o momento mais adequado).
7.  DIFUSÃO E MULTIPLICAÇÃO: Difunde e compartilha boas práticas, considerando a própria atividade como parte integrante de uma rede.

1-      Compartilha as boas práticas adotadas por ele e outros professores junto a outros profissionais da escola (novas estratégias de ensino, ações de melhoria de aprendizagem, ações de apoio ao nivelamento etc).
2-      Documenta as boas práticas adotadas, possibilitando o seu compartilhamento (experiências e ferramentas).



6- POSTURA, ADEQUADA À FUNÇÃO E ATRIBUIÇÕES, BASEADA NOS VALORES, PRINCÍPIOS E PREMISSAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL.
Fazer uma autoavaliação e reflexão no aspecto individual da sua atuação. Ter em mente que sua postura é um compromisso para consigo mesmo e para com sua equipe, alunos, pais, comunidade, SEE e instituições parceiras.  

Fazer uma autoanálise, apontando quais ações para que a postura seja adequada aos princípios, premissas e valores do Programa Ensino Integral. Estabelecer em quais dos pontos é necessário o desenvolvimento de algum trabalho individual ou um apoio /ajuda de outras pessoas.

OBS: A título de sugestão, indicamos alguns aspectos que podem ser considerados na sua reflexão: Compreensão da diversidade e da individualidade; incentivo à participação das pessoas; seu esforço pessoal e dedicação; suas atitudes em prol da cooperação coletiva; seu esforço na busca efetiva do trabalho em equipe; assiduidade/frequência; confiança e respeito no trato das pessoas.
ASPECTOS

SUA AÇÃO
1-      PROTAGONISMO
Demonstra  o interesse pelo estudo, observando que a escola pode oferecer meios (disciplinas, eletivas, laboratórios, tutores) para ajudar na concepção e realização de projetos de vida.
Ter clareza do meu propósito de atuação de forma ampla, servindo como exemplo   (presença educativa) e desenvolvendo a pedagogia da presença


2-      FORMAÇAO CONTINUADA
Procura embasamento aprofundado em minha área de conhecimento, demonstrando propriedade no conteúdo, habilidades e competências.
Estar sempre disposta às novas aprendizagens e formação continuada.
Apresenta abertura para orientações e devolutivas das ações educadoras. 


3-      EXCELÊNCIA EM GESTÃO
Comprometida com planejamento, e execução e revisão de minhas ações, para atingir resultados e metas planejados no Plano de Ação da escola.
É capaz de criar vínculos positivos e desenvolver relacionamentos positivos
                Apresenta disponibilidade para ajudar outras pessoas.
 Busca parcerias e incentiva a participação dos pais e/ou responsáveis promovendo  corresponsabilidade pela aprendizagem dos alunos.



4-      CORRESPONSABILIDADE
É capaz de identificar avanços e pontos de melhoria. Pondera suas colocações tendo em vista o contexto.
Disposição para mudanças e flexibilidade para adotar novas práticas e tecnologias.


5- REPLICABILIDADE
        Busca maneiras de contribuir e favorecer o compartilhamento de boas práticas
Divulga o Programa Ensino Integral e as boas práticas adotadas  para a comunidade,
viabilizando o ingresso de novos alunos na escola.




1 – a– Através da tutoria e eletivas, estimular os alunos a realizar seus projetos de vida, desenvolvendo atividades acadêmicas (Ribeirão do Itaim) e registrar resultados em portfólio;
b-                Manter constante diálogo com os alunos, principalmente com os tutorados para estimular o desenvolvimento da evolução acadêmica e do espírito científico;
c-       C - Aulas de Práticas de Ciências nas aulas da Eletiva, de forma interdisciplinar, inovadoras e dinâmicas para estimular o vocabulário e o espírito científico dos alunos.
d-      D - Organização e desenvolvimento de concurso de animação sobre Dengue, visando desenvolver o protagonismo e disseminar a prevenção a partir da replicabilidade.
e-      E – Aulas inovadoras e diversificadas em Projeto de vida que estimulem o autoconhecimento e a autonomia para a construção e execução do seu projeto de vida.
F - Promover espaço adequado para que os alunos tenham seu projeto de vida em elaboração e elaborados.

2- a- Em horários de estudo, aperfeiçoar, pesquisar e estudar práticas de ensino- aprendizagem que facilitem as aulas e orientações concretas aos alunos;
b- Elaborar mais de um instrumento de avaliação para que haja coerência com conteúdos do currículo desenvolvidos em sala de aula. 
c- Participar de todos os cursos de formação oferecidos pelo programa, demonstrando disponibilidade para novas aprendizagens;
d- Buscar devolutivas das minhas ações com PCA, PCG e gestores para construir um PIAF reflexivo e concreto ao meu auto desenvolvimento.

2 --a- Elaborar e entregar dentro do prazo da escola: guias de aprendizagem, plano de ensino, agendas programa de ação e demais documentos solicitados pela gestão em beneficio do PEI.
B - Desenvolver o ciclo PDCA em todas as minhas práticas educativas e pessoais para que a escola consiga atingir melhores resultados no IDESP.
C – Estar disposta ao autodesenvolvimento a partir da realização de cursos oferecidos pela SEE,  cursos de especialização e atualização como Formação em Psicanálise (cursando).
D – Estudos diários com intuito de atualização sobre os conteúdos do currículo oficial do estado de São Paulo para melhor desenvolver as habilidades e competências a partir de aulas dinâmicas e diferenciadas.

3-                  a- Sempre que possível buscar parcerias dentro e fora da escola para promover avanço na aprendizagem dos alunos e aulas mais concretas e dinâmicas.
b- Disponibilizar momentos na agenda semanal, para tutoria e atendimento aos alunos e profissionais da escola e orientar pais e/ou responsáveis sobre o desempenho escolar dos alunos, incentivando sua participação como corresponsáveis, em reuniões festividades da escola e outro momentos quando necessários
C – A partir de uma relação de respeito mútuo dialogar e alinhar com a equipe gestor, sendo prestativa e corresponsável com as atividades constantes no plano de ação da escola.

4-                  a- Conscientizar os alunos a desenvolver posturas de organização da sala de aula, forma de avaliação, novas estratégias de ensino como debates, grupos colaborativos, criando contratos pedagógicos e registros de boas práticas ;
a-                 Desenvolver o PIAF a partir das devolutivas da gestora imediata para melhorar minhas práticas pedagógicas.

5 – a - Elaborar um portfólio de boas práticas.
B – Compartilhar com demais professores, as boas práticas realizadas.
C – Divulgar no âmbito escolar e nas redes sociais para os pais, alunos e comunidade, as boas práticas  realizadas nos espaços escolares.
GESTÃO POR RESULTADOS DO PLANO DE AÇÃO

7 - PRINCIPAIS FOCOS DA ESCOLA
A partir dos objetivos e prioridades no Plano de Ação da escola são considerados como principais focos prioritários a serem trabalhados pela escola: Nas 1ª, 2ª e 3ª séries de Ensino Médio, garantir o domínio das habilidades previstas no Currículo das séries em curso, possibilitando desenvolver suas competências acadêmicas; formando assim adolescentes autônomos solidários e competentes, com vistas à construção do Projeto de Vida de cada jovem, e concomitantemente, atividades/ações voltadas à aquisição pelos alunos das habilidades e competências previstas no Currículo como: PAN, análise de resultados das avaliações em larga escala (SARESP ), em articulação com os resultados observados  nas avaliações internas da escola. Orientar a preparação do Projeto de Vida dos alunos da 3ª série, com vistas ao prosseguimento dos estudos e/ou ingresso no mundo do trabalho.
Formar os educadores no conteúdo e método propostos no modelo pedagógico e de gestão, considerando: os Princípios educativos; as Premissas e os Valores do Programa Ensino Integral. Participação de todos os educadores nas formações específicas e cursos oferecidos no âmbito do Programa Ensino Integral ; garantindo a formação continuada de cada profissional.
 Estimular a corresponsabilidade de toda comunidade escolar para atuar junto às famílias, tendo em vista a compreensão das diretrizes do Ensino Integral e do Plano de Ação da escola e promover a Adesão da comunidade escolar – toda equipe escolar, alunos e instituições parceiras ao Ensino Integral e suas ações previstas nos Planos de Ação da SEE  e das escolas.
Implantar e utilizar plenamente o Modelo de Gestão das Escolas do Programa Ensino integral; com vistas a excelência em gestão que promova o alcance efetivo dos objetivos e resultados previstos no Plano de Ação da escola.
Sistematizar as práticas inovadoras replicáveis para a expansão do modelo do Ensino Integral para a rede; mantendo a transparência das metodologias e tecnologias educacionais replicáveis em espaços de socialização.

 8- RESULTADOS ESPERADOS, METAS E AÇÕES

ESCOLA
PROFISSIONAL
8.1 - RESULTADOS ESPERADOS, METAS DA ESCOLA E DO PROFISSIONAL
De acordo com o Plano de Ação da Escola devem ser considerados como Resultados e Metas:
01. Melhoria dos resultados das avaliações externas  — Considerar a meta projetada para 2017: 2.44;
02. Melhoria dos resultados das avaliações internas — a. Percentual dos planos de nivelamento 100% desenvolvidos até o final do 1º semestre de 2015.
03. Melhoria nas taxas de rendimento das escolas. — a. Taxa de aprovação líquida por 95% série; b. Taxa de abandono, 5% por série.
04. Aumento do índice de frequência. —  a. manter o índice de frequência > 75% no bimestre.
05. Estudantes com Projetos de Vida elaborados. —  a. Percentual dos alunos da 1ª série com 100% "Projeto de Vida" em elaboração; b. Percentual de100% dos alunos da 2ª e 3ª séries com "Projeto de Vida” elaborado; c. Percentual de 100% dos alunos com "Projetos de Vida" elaborados e com definição do percurso de ação (2ª e 3ª séries do EM).
06. Maioria dos estudantes dando continuidade na sua formação acadêmica com vistas ao desenvolvimento do seu Projeto de Vida. —a.  Percentual  de 100%   dos alunos da 3ª série do EM inscritos no  ENEM; b. Percentual de 60% dos alunos com projeto de vida voltado aos cursos técnicos inscritos em processos seletivos para cursos técnicos; c- Percentual de 40% dos alunos com projeto de vida voltado ao mundo acadêmico, inscritos em vestibulares para o ensino superior.
08. Educadores qualificados atuando de maneira efetiva na sua prática pedagógica e de gestão. — a.100% Percentual dos educadores formados nos modelos pedagógico e de gestão das escolas do Programa Ensino Integral, considerando as necessidades e os parâmetros apontados  na avaliação de desempenho das equipes escolares; b. 100%. Percentual dos professores em formação continuada

; c.  100%. Percentual dos Guias de Aprendizagem elaborados, atualizados, efetivamente aplicados nas disciplinas e disponibilizados para os alunos e familiares; d. 100%  PIAFS elaborados; e. 100%.PIAFS em execução; f.100% 1. Quantidade de ATPAs realizadas; f.2. Quantidade de100% HTPC´s realizadas; g. Quantidade de 1  aula observada mensalmente.
09. 1. Apoio e acompanhamento da vida escolar dos estudantes pelas famílias/responsáveis.  — a. 100%Percentual dos alunos envolvidos com seu processo de ensino e aprendizagem.
09.2. Participação plena da equipe escolar nas ações propostas no Plano de Ação da escola e nos colegiados de representação previstos na escola. — Percentual dos 40%pais/responsáveis participando proativamente das atividades previstas no Plano de Ação da escola.
09.3. Participação plena dos alunos nas ações propostas no Plano de Ação da escola. — Percentual dos 50% pais/responsáveis acompanhando o desenvolvimento escolar dos filhos quanto ao desenvolvimento do Currículo previsto no Guia de Aprendizagem; Percentual de 15% alunos transferidos: Porcentagem de transferência dos alunos da escola tendendo a zero.
09. 4. Participação das instituições parceiras nas ações propostas no Plano de Ação da escola. — a. Índice de participação da família em cada um dos encontros Escola & Família com vistas a 50% de participação; 20% Proporção das instituições parceiras comprometidas com o Plano de Ação da escola.
10. Plena apropriação do Modelo de Gestão das Escolas do Programa Ensino Integral. — a.100% Percentual do Plano de Ação elaborado 1 mês após o envio Plano de Ação do Programa pela SEE-SP; b.100% Percentual  das rotinas das funções da escola definidas até o final do primeiro mês letivo; c.100% Percentual  dos programas de ação elaborados até o final do primeiro bimestre.
10. Plano de Ação da escola em implementação durante o ano letivo. —  a.100% Percentual do Plano de Ação e  dos programas de ação revisados ao final de cada bimestre.
11. Plano de ação da escola executado ao final do ano letivo.  — a. 100% Percentual de Ações previstas no plano de ação da unidade escolar  executadas no ano letivo; b.100% Percentual  das rotinas das funções da escola revisadas no ano letivo; c.100% Percentual dos programas de ação dos educadores executados no ano letivo.
12. Socialização das práticas inovadoras replicáveis. Orientação e apoio à outras escolas. Incorporação das práticas replicadas. — a. Número de práticas inovadoras efetivas socializadas: 6 ; b. nº de práticas efetivas incorporadas:6.
RESULTADOS ESPERADOS, METAS DO PROFISSIONAL
De acordo com o Plano de Ação da Escola devem ser considerados como Resultados e Metas:
1-      Melhorar os resultados das avaliações internas e externas dos alunos em 60% ate o final do semestre de 2015 com atividades diversificadas, complementares e da base comum do currículo.

2-      Através da tutoria e de ligações, contatos on line, reuniões de pais auxiliarem a escola reduzir a taxa de abandono em 5% e aumentar o índice de frequência maior que 75% por bimestre;

3-      A partir da tutoria e disciplina e projeto de vida auxiliar os alunos na elaboração e definição de seu projetos de vida em 90% .

4-      Manter-me em 100% em formação continuada, participando de todo o curso oferecido pelo PEI e desenvolvendo horários de estudo.

5-      Manter em desenvolvimento e atualizados em 100% todos os documentos exigidos pelo programa que cabem a minha função.

6-      Estimular os alunos na execução de seus projetos de vida e inscrição em vestibulares em 40%.

7-      100% dos guias de aprendizagem elaborados atualizados, disponibilizados e aplicados em sala de aula durante o ano letivo,
PIAFS em elaboração, execução e atualização do ano letivo.
100% do programa de ação executado, atualizado e revisado a cada bimestre e concluído ao final do ano letivo, e participação em 100% em ATPA, ATPC e Alinhamentos.

8-      100% de atenção às devolutivas das Aulas observadas uma vez por mês pela PCA,


9-      Percentual dos 50% pais e/ou responsáveis acompanhando o desenvolvimento do currículo previsto no guia de aprendizagem;
Participação em 100% da revisão bimestral do Plano de Ação da Escola em ATPCs e revisão bimestral do meu Programa de Ação e Guias de Aprendizagem em horários de estudo e alinhamento com gestora imediato (PCA)

10-   Seis práticas inovadoras efetivas e socializadas (culminância das disciplinas Eletivas 1º e 2º semestres, feira do meio ambiente, FEAMA, datas comemorativas e reuniões de pais e / ou responsáveis.) em ATPC, ATPA, Planejamento e Replanejamento

8.2- AÇÕES E PRAZOS PARA OS FOCOS DA ESCOLA

De acordo com o Plano de Ação da Escola devem ser consideradas as seguintes Ações e Prazos, tendo como estratégia em consonância com os Resultados e Metas citados no item 8.1:
1.1.  (prazo: anual) - Análise dos resultados de desempenho da Escola e  definição conjunta de ações  adequadas para atingi-las.
1.2.  (prazo: anual) Apoio aos estudantes na organização do estudo e no desenvolvimento de procedimentos e atitudes que favoreçam a aprendizagem.
2.1. (prazo: semestral) Análise do processo de aprendizagem  e  elaboração de ações contínuas de melhoria  a partir dos resultados das avaliações internas, em articulação com os resultados das avaliações externas
2.2( Prazo: bimestral) Registro dos resultados das avaliações internas
3.1.(Prazo: anual) Acompanhamento contínuo do rendimento e frequência escolar  dos alunos, considerando as necessidades de desenvolvimento das habilidades e competências identificadas nas avaliações internas e externas.
3.2. .(Prazo: anual) A partir dos resultados das  avaliações internas e externas, produzir análises  (indicadores, gráficos e demais estatísticas) que possam orientar a recondução do processos de aprendizagem.
3. 3. (Prazo: anual)   Realização de Conselho classe/série, Conselho Participativo.
4.1.( Prazo: bimestral) Introdução de práticas e vivências em Protagonismo Juvenil.
5.1. ( Prazo: bimestral)  Apoio  pleno aos estudantes no desenvolvimento da elaboração e definição do Projeto de Vida
6.1.  (Prazo: anual)    Apoio e incentivo ao protagonismo juvenil .
6.2(Prazo: anual) Garantir o desenvolvimento das práticas e vivências em Protagonismo Juvenil.
8.1(Prazo: anual)   Elaboração do plano de formação continuada dos educadores, considerando as necessidades apontadas:  a. Na avaliação anual e contínua de desempenho das equipes escolares; b. Nos instrumentos de gestão e, c.  Nas ações de acompanhamento formativo.
8.2.( Prazo: bimestral) Acompanhamento da execução do Plano Individual de Desenvolvimento (PIAF) de cada profissional.
8.3. ( Prazo: bimestral) Utilização dos espaços de HTPC e HTPA para formação dos educadores e demais atividades necessárias ao atendimento das prioridades formativas identificadas nas avaliações anual e continuada das equipes escolares
9.1.( Prazo: bimestral)   Elaboração e divulgação de calendário anual de encontros Escola &Família.
 9.2. ( Prazo: bimestral)  Preparação de agenda que envolva e motive a participação dos pais/ responsáveis.
9.3 ( Prazo: bimestral)  Busca ativa dos alunos com baixa frequência; frequência irregular e em situação potencial de abandono com vistas à reversão do quadro.
9.4(Prazo: anual) Informar e orientar os pais/responsáveis acerca do rendimento escolar de seus filhos e de como acompanhá-lo ao longo do ano letivo.
9.5. (Prazo: anual)  Acompanhamento da execução do Plano Individual de Desenvolvimento (PIAF) de cada profissional.
9.6. (Prazo: anual)  Orientar e  incentivar a participação plena da comunidade escolar nas ações previstas no Plano de Ação da escola.
10.1.  (Prazo: ao final do 1º mês letivo) Alinhamento das ações que envolvem as diretrizes e procedimentos propostos no Plano de Ação da escola.

10.2. (Prazo: ao final do 1º mês letivo) Alinhamento do Plano de Ação da escola ao Plano de Ação da SEE, consideradas as especificidades da unidade.
10.1.( Prazo: apuração a cada fase de revisão do PDCA) Elaboração e operacionalização dos instrumentos de gestão (Plano de Ação da escola; Programa de Ação, Guias de Aprendizagem e Agenda da escola).
11.1. (Prazo: anual)   Planejamento, execução, acompanhamento e avaliação  das ações do Plano de Ação escolas de Ensino Integral.
 11.2. (Prazo: anual)  Monitoramento sistemático dos resultados esperados no Plano de Ação das escolas do Programa Ensino Integral  pela equipe escolar.
12.1. (Prazo: anual) Planejamento, execução, acompanhamento e avaliação das iniciativas inovadoras das Escolas do Programa Ensino Integral.



8.3- AÇÕES E PRAZOS PARA OS FOCOS - Função e Disciplina

 - Analisar os resultados obtidos pelos alunos nas avaliações de larga escala (SARESP) e AAP;

- Participar ativamente das Feiras e eventos abertos da UE, promovendo o protagonismo, a cooperação e a autonomia dos educandos.

- Organização de atividades e avaliações que favoreçam a leitura, interpretação textual e raciocínio lógico em todas as disciplinas no decorrer do ano letivo

- Avaliações bimestrais de área e elaboração de indicadores de resultados de aprendizagem ao final de cada bimestre;

- Estudo articulando resultados da AAP e SARESP em ATPC, Planejamento e Replanejamento durante o primeiro semestre letivo;

- Aplicar avaliação diagnóstica no início do ano letivo;

- Contribuir com o nivelamento a partir de atividades que possam ser desenvolvidas em consonância com o currículo oficial de Filosofia e Sociolgia.

- Elaborar o meu Programa de Ação, no primeiro bimestre, contemplando a necessidade de aquisição das habilidades e competências dos alunos identificadas nos resultados das avaliações internas e externas aplicadas e revisá-lo ao final de cada bimestre do ano letivo;

- Elaborar Guias de Aprendizagem à luz do currículo proposto e da necessidade de desenvolvimento das habilidades e competências dos mesmos, identificadas nas avaliações internas e externas e disponibilizá-lo em sala de aula durante o ano letivo.

- Planejar, implementar, acompanhar e avaliar o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos por meio de indicadores bimestrais e  da verificação das habilidades desenvolvidas em todos os espaços pedagógicos  da unidade.

- Divulgar amplamente, em reunião, a todos os alunos tutorados  e pais/responsáveis, os resultados por eles obtidos nas avaliações internas e externas e, também, das habilidades e competências desenvolvidas, no decorrer do ano letivo;

- Conscientização aos alunos sobre a importância de participar das atividades de nivelamento nas aulas de Orientação de Estudos, a todo momento das aulas escolares;

- Planejar, implementar, acompanhar e avaliar o desenvolvimento das  aulas da aprendizagem dos alunos em todos os espaços pedagógicos da unidade; durante todo ano letivo;

- Desenvolver as habilidades e competências identificadas no acompanhamento, com vistas ao conteúdo curricular proposto para a série.

; durante o ano letivo;

- Monitoramento sistemático da frequência escolar dos alunos, semanalmente;

-Monitoramento sistemático dos resultados das avaliações Internas dos alunos, ao final de cada bimestre;

- realizar PDCA em práticas e ações desenvolvidas, durante todo o ano letivo.




8.4- AÇÕES DE ACOMPANHAMENTO DE PROCESSO E MONITORAMENTO DE RESULTADOS

De acordo com o Plano de Ação da Escola devem ser consideradas as seguintes Ações e Prazos, em consonância com os Resultados e Metas citados no item 8.1:
01-   Sistematizar e analisar os resultados obtidos pelos alunos nas avaliações de larga escala (SARESP e SAEB); Formular ações para o alcance das metas projetadas considerando os resultados das avaliações em larga escala (SARESP e SAEB), em articulação aos resultados observados nas avaliações internas da escola; Todos os alunos lendo um livro por bimestre; Enquete para conhecimento do que aluno gosta de ler; Momento da leitura uma vez a cada 15 dias;
02-   Aplicar avaliação diagnóstica; Analisar os resultados das avaliações e elaborar plano de nivelamento com a contribuição de toda equipe docente; Elaborar o Programa de Ação dos educadores da unidade contemplando a necessidade de aquisição das habilidades e competências dos alunos identificadas nos resultados avaliações internas e externas aplicadas; Elaborar os Guias de Aprendizagem dos alunos à luz do currículo proposto e da necessidade de desenvolvimentos das habilidades e competências dos mesmos, identificadas nas avaliações internas e externas; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos por meio da verificação das habilidades desenvolvidas em todos os espaços pedagógicos da unidade; Divulgar amplamente, a todos os  alunos e pais/responsáveis,  dos resultados por eles obtidos nas avaliações internas e externas e, também, das habilidades e competências desenvolvidas; Divulgar amplamente os Guias de Aprendizagem para auto-gestão de todos os alunos; Divulgar todas as atividades escolares por e-mail, rede social, celular e comunicados;   Elaborar os Guias de Aprendizagem dos alunos à luz do currículo proposto e da necessidade de desenvolvimentos das habilidades e competências dos mesmos, identificadas nas avaliações internas e externas; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar o desenvolvimento da aprendizagem dos alunos em todos os espaços pedagógicos da unidade;  Analisar os indicadores por disciplina feita pelo professor; Divulgar amplamente, a todos os alunos e pais/ responsáveis,  os resultados por eles obtidos nas avaliações internas e externas e, também, das habilidades e competências a serem desenvolvidas pelos alunos previstos no Plano de Nivelamento; Divulgar amplamente os Guias de Aprendizagem para auto-gestão de todos os alunos.
03-   Desenvolver as habilidades e competências identificadas no acompanhamento por meio de situações didáticas diversificadas, com vistas ao conteúdo curricular proposto para a série; Monitoramento sistemático da frequência escolar dos alunos; Monitoramento  sistemático dos resultados das avaliações contínuas dos alunos; Acompanhamento sistemático de frequência pelo tutor; Acompanhamento sistemático preventivo da intenção de transferência; Mediador fazer contato com a família.
04-   Planejar, implementar, acompanhar e avaliar o desenvolvimento das  aulas de Projeto de Vida.
; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar  o desenvolvimento de  Disciplinas Eletivas; Orientações de Estudo; Práticas de Laboratório, Língua Estrangeira Moderna, Clube Juvenil, Líderes de Turma e oportunizar práticas e vivências protagonistas e condições para que o aluno defina seu Projeto de Vida; Buscar parcerias.
05-   Planejar, implementar, acompanhar e avaliar  o desenvolvimento  da disciplina de Projeto de Vida; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar  o desenvolvimento da ação de tutoria aos alunos; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar  o desenvolvimento da disciplina Preparação Acadêmica/Introdução ao Mundo do Trabalho; Elaboração de um Painel com o Projeto de Vida dos alunos, com atualização bimestral; Visita monitorada às Universidades da região; Elaboração de Portfólio individuais dos Projetos de Vida com registro de acompanhamento do professor, bimestralmente.
06-   Planejar, implementar, acompanhar e avaliar a semana de acolhimento; Análise e acompanhamento do Varal dos Sonhos; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar desenvolvimento dos Clubes Juvenis e Líderes de Turma
Apresentação das atividades do Clube Juvenil aos professores; Auxílio em dupla de professores ao Clube Juvenil; Planejar, implementar, acompanhar e avaliar a semana de Protagonismo Juvenil: Formação de Clubes e Líderes de Turma; Incentivar e acompanhar as inscrições dos alunos da 3ª série do EM nos processos seletivos do Ensino Superior, do Ensino Técnico e ENEM, com vistas a 100% dos alunos inscritos nos respectivos processos seletivos  e ENEM; Com planilha de acompanhamento.
08-   Estimular a plena participação das equipes escolares nas formações oferecidas em suas respectivas instâncias; Divulgação por e-mail e pasta de comunicado dos cursos oferecidos SEE e outros disponibilizado aos educadores; Organizar e realizar as formações planejadas para a escola; Organizar as pautas das HTPC e  HTPA, enquanto espaço de formação, com vistas ao aprimoramento das habilidades e competências dos educadores; Desenvolver os Guias de Aprendizagem e demais ações previstas na Agenda da Escola; Acompanhar e reorientar a utilização dos Guias de Aprendizagem pelos alunos; Elaboração do Blog da Escola e dos professores; Garantir o cumprimento do Plano de Desenvolvimento Individual  dos profissionais da unidade; Ficha de acompanhamento pedagógico.
09. 1. Preparar e realizar os Encontros Escola &Família; Projeto “Família presente aluno contente”.
09. 2. Criar iniciativas de estímulo à participação da comunidade.
09. 3. Promover ações de busca ativa dos alunos com baixa frequência; frequência irregular e em situação potencial de abandono com vistas à reversão do quadro; Contato telefônico, rede social e visita a casa do aluno; Orientar os pais/responsáveis quanto às necessidades específicas de seus filhos identificadas nas avaliações internas e externas; Atendimento do tutor aos familiares.
09.4. Divulgar os Guias do Aluno aos estudantes e orientá-los acerca da sua utilização enquanto espaço de auto-gestão da aprendizagem. Todos os guias colocados na sala de aula.
09.5. Divulgar os Guias de Aprendizagem aos pais/responsáveis e incentivar seu acompanhamento. Divulgar amplamente às instituições parceiras os espaços de colaboração previstos no Plano de Ação da escola e elaborar projeto específico de parceria.
09.6. Divulgar amplamente a Agenda da Escola à comunidade escolar, especialmente as relacionadas às ações de ensino. Exposição da Agenda nos painéis da escola. Garantir o acompanhamento  junto às famílias das ações em desenvolvimento na escola. Garantir a participação plena da equipe escolar na elaboração do Plano de Ação da unidade. Manter os membros da equipe escolar  informados sobre possíveis desajustes na execução de seus respectivos Programas de Ação. Reuniões de alinhamento e devolutivas da Equipe gestora.
Garantir a qualidade da oferta do ensino-aprendizagem ao aluno, por meio do compromisso de cada um dos profissionais da unidade, na perspectiva da execução de seu Plano de Desenvolvimento, elaboração, reflexão e retomada do PIAF.
10. Elaborar os instrumentos previstos no modelo de gestão do Ensino Integral;

Executar, acompanhar e avaliar as ações do Plano de Ação da escola, tal como planejado.

 Replanejar as ações da escola quando necessário.

Divulgar e monitorar a agenda bimestral de ações (enviada pela SEE), incluindo o replanejamento da mesma, quando houver.
10. Orientar e executar os ajustes das ações, quando necessários, a partir das necessidades identificadas no acompanhamento e avaliação dos processos de trabalho. Após o Conselho de Classe revisitar o Plano de Ação da escola em ATPC. Manter informados os membros da comunidade escolar - equipe escolar, alunos, família/responsáveis e instituições parceiras - dos ajustes necessários e encaminhamentos deles derivados.
11. Planejar, executar, acompanhar e avaliação as ações previstas no Plano de Ação da escola; seus indicadores de processo e resultados estabelecidos e seus resultados. Dar publicidade à comunidade escolar - equipe escolar, alunos, família/responsáveis e instituições parceiras - dos resultados das avaliações e avanços obtidos nas ações da escola. Reuniões , rede social e comunicados.
12. Sistematizar a coleta  e avaliação das iniciativas especificas de cada escola de Ensino Integral. Sistematizar a divulgação, recomendação e adoção das iniciativas nas  escolas do Programa Ensino Integral  e  na expansão do programa e para outras escolas da rede pública à critério das áreas responsáveis. Visita às escolas da prefeitura próximas; Participação de alunos acolhedores nas visitas às escolas de Ensino Fundamental próximas. Panfletos de propaganda da escola de tempo integral distribuído pela comunidade e colocado no comércio local. Divulgação em rede social do programa da escola de tempo integral. Vídeos das atividades da escola. Revista bimestral das atividades da escola.
8.5- AÇÕES DE ACOMPANHAMENTO DE PROCESSO E MONITORAMENTO DE RESULTADOS- Função e Disciplina

 - Estar em consonância com a formação do Programa Escola Integral.

- Melhoria nas avaliações externas através das atividades de nivelamento;

- Atividade de Hora da leitura a cada 15 dias;

- Atividades de recuperação contínua para melhorar a Taxa de aprovação por série.

- Através da Tutoria, reduzir o índice de alunos faltosos.

- Conscientizar os alunos a divulgar as realizações da escola aos familiares para obter maior número de pais no acompanhamento de reuniões e eventos deste ambiente;

- Estar plenamente envolvida no Plano de Ação da escola e Programa de Ação, com equipe de gestão e pedagógica, com consciência e compromisso.

- Participar dos cursos oferecidos pela Secretaria da Educação e orientações técnicas.

- Socializar, replicar e incorporar práticas inovadoras.

-Perceber mudanças positivas nos alunos, no que se refere ao trabalho em grupo, coletivo e de respeito às diferenças;
.
- Estimular o aluno a ter foco nos seus  projetos de continuidades em sua formação acadêmica e profissional.

-Estimular a permanência dos alunos no programa de Ensino Integral através de tutoria e eletiva.

-Buscar parcerias para a eletiva.

-Divulgar amplamente os guias de aprendizagem aos alunos, na sala de aula;

-Acompanhar a frequência de alunos tutorados.


DIRETOR DE ESCOLA:
SUPERVISOR DE ENSINO:
DIRIGENTE REGIONAL DE ENSINO (no caso do Diretor):
DATA DA ELABORAÇÃO: 10/04/2015
DATA DA REVISÃO:

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! Um plano completo, eficaz e com certeza, se aplicado, terá um resultado eficiente.

    ResponderExcluir
  3. So tenho que lhe Agradecer esse Plano foi de grande ajuda .....Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Teria como voce me enviar esse Programa para meu e-mail?

    joscarlos.secedu@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. Oi adorei, tem como você me enviar um exemplar.

    ResponderExcluir
  6. Oi adorei, tem como você me enviar um exemplar.

    ResponderExcluir
  7. Halo, sou Helena Julio, do Equador, quero falar bem sobre o senhor Benjamin sobre esse assunto. me dá apoio financeiro quando todos os bancos da minha cidade recusaram meu pedido de concessão de um empréstimo de 500.000,00 USD, eu tentei tudo o que pude para obter um empréstimo de meus bancos aqui no Equador, mas todos eles me recusaram porque meu crédito era baixo, mas Com graça de Deus, conheci o Sr. Benjamin, por isso decidi tentar solicitar o empréstimo. com a vontade de Deus, eles me concedem um empréstimo de 500.000,00 USD o pedido de empréstimo que meus bancos aqui no Equador me recusaram, foi realmente incrível fazer negócios com eles e meus negócios estão indo bem agora. E-mail / WhatsApp Entre em contato se desejar aplicar um empréstimo a eles. Lfdsloans@outlook.comWhatsApp Contact: + 1-989-394-3740.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tenho uma dúvida.
    O professores que leciona em duas disciplina tem que fazer um programa para cada um.
    Grato!

    ResponderExcluir